Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

O paradoxo do FMI

Ensinaram-nos que quem não aprende com os erros é burro ou simplesmente imbecil.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 15 de Dezembro de 2013 às 01:00

Mas quando chegamos ao nível de uma instituição cheia de mentes brilhantes como é notoriamente o caso do FMI, não há explicação para esse paradoxo.

A diretora geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, admitiu o erro quanto aos efeitos da austeridade nos países mais frágeis da Europa, entre os quais Portugal. Este erro de cálculo traduziu-se em menos PIB, que é menos riqueza, e mais desemprego.

O erro é óbvio e nem seria preciso o ‘mea culpa' para o confirmar. Só em Portugal a realidade de mais de um milhão de pessoas que na realidade não têm emprego, ou das dezenas de milhares obrigadas a emigrar, confirma que a austeridade teve uma pesada fatura.

coisas do dinheiro Armando Esteves Pereira opinião
Ver comentários