Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

O planeta de Louçã

Portugal anda deprimido. Não admira: com Herman José reformado e os Gato Fedorento em hibernação, quem resta para nos animar? Resta Louçã, é certo, que nos últimos dias reuniu com o PCP para delirar em conjunto. Nas palavras de Louçã, é preciso resistir ao FMI, à austeridade e à recessão.

João Pereira Coutinho 9 de Abril de 2011 às 00:30

E como tenciona Louçã resistir a tudo isso? Muito fácil: com ‘políticas de esquerda', defendidas por um ‘governo de esquerda', de preferência num país imaginário. Pena que, no meio de tanta precisão, ninguém tenha perguntado a Louçã duas ou três coisas mundanas. Por exemplo, de que forma esse ‘governo de esquerda' pagaria os salários dos trabalhadores já em Maio; ou, em alternativa, onde iria o país buscar o dinheiro para alimentar essas ‘políticas de esquerda', partindo do pressuposto de que os investidores não desatariam a fugir e a gritar perante elas. Louçã não tem respostas porque as perguntas não fazem sentido no planeta onde vive. À esquerda do PS, só há disto: extraterrestres. Divertem? Sem dúvida. Mas cuidado: há muito boa gente que já foi raptada por eles.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)