Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
17 de Março de 2009 às 00:30

O bem-falante, simpático e aprumado vizinho do primeiro-ministro virou abóbora num ruidoso fim de tarde em que o Estádio da Luz se encheu para aclamar os seus príncipes e assobiar os seus vilões. Nascido no meio do espectáculo, Quique sabe muito bem destrinçar entre vaias e ovações, para entender que o Terceiro Anel não lhe estava propriamente a oferecer orelhas e rabo, quando tentou pegar com uma substituição de cernelha um adversário mais bravo e malicioso.

 A derrota há muito anunciada confirmou que não tem o ‘estofo de campeão’ que os benfiquistas mais crédulos, enfeitiçados pela adoração a Rui Costa, tentaram lobrigar ao longo de meses. Quique Flores, treinador de uma equipa sem liderança, não está à altura da exigência do Benfica. As ilações pode tirá-las imediatamente ou após os desaires fáceis de antever para os meses que aí vêm, a manter-se o ‘rumo’ de há tantos anos na direcção oposta do título.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)