Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

O referendo

Angela Merkel, dizem as más-línguas, gostava que os gregos fizessem um referendo sobre o euro.

João Pereira Coutinho 19 de Maio de 2012 às 01:00

No exacto dia das próximas eleições. Querem ficar ou querem partir? A pretensão de Merkel, seja ou não verdadeira, poderia servir como pressão e chantagem; mas jamais faria sentido. Até porque os gregos já deram a sua resposta da última vez que foram às urnas: a esmagadora maioria quer ficar. O próprio Syriza, partido de extrema-esquerda que pode vencer a 17 de Junho, admite tudo: renegociar o acordo de resgate; enterrar as medidas de austeridade; deixar de pagar a dívida. Só não admite deixar o euro.

Perante este espectáculo, a sra. Merkel já devia ter percebido que não são os gregos que têm de ir a referendo. São os alemães. E com uma pergunta simples: a Alemanha está disposta a abrir os cordões à bolsa para que o euro continue a existir?

Não vale a pena andar a propor referendos no estrangeiro quando o referendo que interessa devia ser feito dentro de casa.

Ver comentários