Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
10 de Setembro de 2007 às 00:00
Frente a um ‘quinze’ histórico do râguebi mundial, claramente favorito, os Lobos “prometiam”, assim, que não dariam facilidades. E não deram. A Escócia sofreu a bom sofrer para chegar ao primeiro ensaio (aos 11 minutos). E durante uns longos 80 minutos – talvez os mais longos e mais belos da vida desportiva dos 22 jogadores ontem utilizados por Tomaz Morais – os favoritos tiveram sempre de se empenhar a fundo.
Os desinibidos Lobos mostraram ao mundo do râguebi (muito duvidoso da sua capacidade) que não chegaram ao Mundial por um acaso. E, com tantas estrelas do primeiro nível mundial presentes em campo, não foi por acaso, também que o ‘man of the match’ foi o capitão Vasco Uva. E se não fosse ele, tal honra só poderia caber a Juan Severino.
Foi lindo ver a Escócia tremer. Como foi lindo, também, antes, assistir às dificuldades de Gales ante o Canadá, da Inglaterra frente aos Estados Unidos e, depois, da Irlanda contra a Namíbia. Os favoritos ganharam, é certo, mas isto está a mudar. Quem diria. Agora que venham os ‘Blacks’.
Ver comentários