Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
25 de Novembro de 2004 às 00:00
Tirando o sul-africano, e Seitaridis – o do centro do golo –, a equipa foi quase toda ela mediana, mas teve o mérito de resistir aos dez graus negativos e à pressão desesperada dos russos na última meia hora de jogo. Neste período, porém, ficou claro que este FC Porto está muito longe – e os collants não são desculpa – do nível mínimo para poder ambicionar uma campanha semelhante à da época passada. Com Mourinho, o CSKA jamais teria tido mais posse de bola na segunda parte e Derlei e Nuno teriam, inteligentemente, ficado no chão a quebrar o ritmo do adversário.
Mas ontem o ex-treinador dos ‘dragões’ ajudou pouco e o Chelsea ficou-se por um empate caseiro com o PSG. Com este resultado, o FC Porto vê o seu futuro, e milhares de euros, nas mãos de franceses e russos, só escapando de entrar para a História como o primeiro campeão europeu em título a ficar pela primeira fase se vencer o Chelsea na próxima jornada e a equipa de Pauleta não ganhar. Um sonho frágil, o do FC Porto, mas ainda assim possível.
Ver comentários