Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
5 de Julho de 2002 às 23:58
Os "renovadores" dão, pois, ao maxilar, enquanto o núcleo duro do Partido Comunista (PCP), também por alcunha os "ortodoxos", entrincheirados na sede da Avenida da Liberdade, escrevem em silêncio, ao abrigo dos artigos de mais uma purga inevitável. As paredes, finalmente de vidro, deixam ver tudo com clareza: o PCP definha mas não abdica do velho comer e calar. Isso, no entanto, talvez seja menos surpreendente que assistir ao tardio desabrochar democrático de velhos cravos estalinistas.

Há doze anos, quando o PCP começou a executar "traidores" - Pina Moura, Zita Seabra, José Luís Judas, José Magalhães, entre outros -, estes renovadores ainda eram ortodoxos, tão sinceros e convictos quanto os ortodoxos que ainda agora não desconfiam do terrível destino: um dia também eles hão-de ser renovadores, antes de se repartirem, felizes, entre o Partido Socialista e o Bloco de Esquerda. Na vida há sempre outros amanhãs que cantam. E, bem vistas as coisas, talvez valha a pena voltar a sofrer para mudar a burguesia por dentro...

A Comissão de Ética não tem dúvidas: é legal a deputada Maria Elisa, do PSD, receber da Assembleia da República e do Serviço Público de Televisão, perdão, da RTP. Deve ser por esta, e por outras, que o Governo insiste em sanear o canal público. É, não é?

Depois de proclamar o final da fase da coruja, Gilberto Madaíl julgou-se mesmo um falcão, e desafiou Marcelo Rebelo de Sousa e Miguel Sousa Tavares para duelos na TVI. O primeiro, que tem outras vítimas a consumir, deve ter sorrido. O segundo, que vive disto, esfregou as mãos e aproveitou para um desapiedado assassínio a sangue-frio. Foi horrível! Um espectáculo a merecer bolinha no canto superior direito do ecrã! Madaíl, respeitoso, afinal só queria defender-se, e às criancinhas, choramingar, quanto muito protestar timidamente.

Ao invés, o "senhor doutor" estava ali como o abutre sobre a carcaça: implacável e esfomeado. Saciou-se, por isso, com o pobre indefeso. Embalado, aproveitou, até, para empunhar uma bandeira há algum tempo deixada ao abandono: estamos todos, no futebol, cansados de Valentim Loureiro, Pimenta Machado, Mesquita Machado, Adriano Pinto... Só foi pena que, tendo gasto a coragem toda a massacrar Madaíl, o comentador da TVI não se tivesse lembrado de Pinto da Costa. Fica para a próxima. Madaíl é que, sinceramente, já não tem ambiente para isso.

O Presidente da República soltou a fera em Barrancos e já há outras 32 localidades a prepararem-se para aproveitarem a boleia da legalização dos touros de morte. Quem sabe se Ferro Rodrigues não acabará por agradecer a intervenção de Jorge Sampaio, que tanta azia ainda provoca nas hostes do PS.

Segundo o jornal espanhol "ABC", Aznar revelou, depois da última cimeira dos G-8 realizada no Canadá, e na qual foram tiradas as fotos que o CM publicou na quinta-feira em exclusivo para Portugal, que Bush lhe revelou, depois de colocar os pés em cima da mesa, que corre quatro kms em seis minutos e 40 segundos. Foi então que ele, Aznar, replicou que corre 10 kms em cinco minutos e 20 segundos, antes de, também, colocar os pés em cima da mesa. É evidente que, depois destas façanhas, Haille Gebrselassie, o recordista mundial dos cinco (12.39.36) e dez (26.22.75) kms, vai ter de desistir do confessado propósito de ser um dia presidente da Etiópia: ainda não tem sentido de humor suficiente para estadista. Ou, apenas, não será mentiroso que chegue?
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)