Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

Obrigado, Ronaldo! E... até já

O que faltava para Ronaldo se imortalizar no coração dos portugueses aconteceu nos últimos jogos de Portugal. Na Irlanda e frente à Suécia, Ronaldo explodiu finalmente ao serviço das cores do seu País.

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 21 de Novembro de 2013 às 01:00

Aqui no CM, como em qualquer casa portuguesa, todos vibrámos com aqueles sprints maravilhosos, a bola tornada apêndice dócil. Corpo e mente em completa harmonia, até à estocada seca na baliza sueca. Uma, duas, três vezes.

Ronaldo conquistou o Mundo e atingiu finalmente o estatuto de herói do desporto nacional, ao lado de Eusébio, Carlos Lopes, Rosa Mota, poucos mais.

Ninguém pode apontar um defeito que seja a esta maravilhosa máquina de correr, driblar e rematar. Instinto matador numa elegância extrema. Cabeça altiva, hirta, nos instantes de pontaria da decisão letal.

Ronaldo tem muito do garbo dos grandes matadores de touros, na teatralidade dos gestos com que celebra os golos. Nós, aqui no CM, não escapamos a esta felicidade efémera que o futebol traz nas vitórias nacionais.

Hoje, o CM e Ronaldo encontram-se em tribunal, por queixa do grande craque. Em causa está o direito que o CM defende para cada criança portuguesa : todas têm o direito a saber quem é o pai e quem é a mãe. Assim dita a lei desde o 25 de Abril. Ninguém pode ser condenado a filho de pai – ou mãe – incógnito(a).

Mesmo que o pai seja Cristiano Ronaldo.

Portugal Cristiano Ronaldo
Ver comentários