Orçamento: notas soltas

Orçamento: notas soltas

Uma nota breve para desmontar a demagogia. Os juízes não querem ficar à margem dos sacrifícios. Sempre dissemos que, como cidadãos responsáveis, estamos solidários para salvar Portugal. Mais, estando os juízes nos escalões mais altos do IRS somos dos que pagaremos mais e aceitamos isso. O que nos deixa indignados é sermos alvo de discriminação negativa, pois somos os únicos afectados por uma redução de uma parte do seu rendimento em 20%.

  • 0
  • 0
23.10.10
  • partilhe
  • 0
  • 0
Orçamento: notas soltas

Uma nota aguda para vincar que este OE vai deixar todos os portugueses que vivem do seu trabalho mais pobres.

Já em 2011 o patronato vai querer fazer o que o Estado fez, reduzir salários. O Estado não terá nem legitimidade nem moral para dizer que não, já que deu o mau exemplo.

No futuro, quando no sector privado se contratar um professor, um enfermeiro ou outro profissional, o seu ordenado vai ser estabelecido pelo valor de mercado e, este, será o dos que no sector público passaram a ganhar menos 5% em média do que ganham agora.

Como a redução dos vencimentos não será temporária – e devia ser se é por causa do défice de 2011 – os que vivem dos rendimentos do trabalho ficarão mais pobres para o resto da vida, incluindo na reforma.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)