Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

Os filhos do País

Quarenta por cento das crianças portuguesas vivem em situação de pobreza. A falta de dinheiro justifica a falta de aquecimento nas casas, o alojamento sobrelotado ou uma vida vivida em áreas de crime, violência e vandalismo, mas não a inexistência de uma televisão ou de um telefone, segundo um estudo do ISEG. Temos um País de pantanas que se refastela no sofá.

Fernanda Cachão 31 de Maio de 2011 às 00:30

 A pobreza e a miséria são antónimos – o dinheiro só a primeira resolve. Pode faltar espaço na sala, segurança na rua, proteínas no prato, tempo e educação, mas nunca um reality show ao jantar ou bolsos para um telemóvel. Os ‘putos’ portugueses estão assim: resultado dos nossos problemas, das nossas cidades, dos nossos bairros de cimento nem por isso mais sólidos. Os estudos servem às notícias co-mo chapéus. Na Póvoa de Santa Iria, um pai soube pela televisão que a filha tinha sovado outra – acto filmado por telemóvel para o Facebook. Dentro de um minimercado, dias depois, esse mesmo pai apontou sem bondade "a miúda do vídeo" – a vítima. Em Mem Martins, um x-acto serviu para uma jovem de 17 anos ferir 17 vezes uma outra de 14. Nenhum destes miúdos andava roto, sujo, era analfabeto ou subnutrido. São filhos do mal-estar das sociedades urbanas. "Não há céu de palavras que a cidade não cubra" – escreveu Ary dos Santos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)