Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Alexandre Ganhão

Os salários da discórdia

O Governo quer limitar os ordenados nas empresas participadas directa ou indirectamente pelo Estado. Para tanto, o secretário de Estado do Tesouro, Carlos Costa Pina, deu ordens aos administradores que representam o interesse público para que votem favoravelmente políticas que promovam maior transparência e contenção ao nível dos salários dos administradores.

Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 23 de Maio de 2009 às 00:30

Estas orientações foram mal recebidas pelos accionistas privados e pelos próprios gestores que se encontram à frente de empresas com capitais maioritariamente privados. Consideram esta medida (consagrada no Despacho nº 11 420/2009, publicada em Diário da República no dia 11 de Maio de 2009) uma ingerência intolerável na gestão daquelas empresas e mau sinal para o resto do mercado.

- O ministro da Cultura contratou um motorista chamado Jorge Cardoso Pires. Nem ao volante Pinto Ribeiro deixa a literatura.

- Multiplicam-se as comunicações ao Ministério Público de contribuintes que praticam crimes fiscais.

- Rendeiro tem como advogado José Miguel Júdice, do escritório PLMJ, que também presta serviços para o BPP. Uma situação contestada por vários advogados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)