Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2 de Novembro de 2011 às 01:00

 

A dívida pública italiana ultrapassou os 6%, ao nível de Portugal quando a direita e a esquerda retórica fizeram cair o Governo Sócrates, os bancos à rasca insistem na coletivização das perdas (todos nós a pagar por eles) e para remate trágico a Grécia ameaça com um referendo para perguntar ao povo se quer mais austeridade… Seria difícil um cenário pior de Halloween financeiro.

A bravata da destruição do Estado e a redenção pelo martírio propostas pelo Governo parecem cada vez mais um exercício de economia laboratorial que torna a falácia da baixa da TSU numa fraude de delinquente político juvenil.

O ponto útil da estratégia do Governo é o de que no meio da tempestade o melhor é procurar fugir do olho do furacão. Merecíamos por isso um pedido de desculpa pela crise que nos pôs à boca de cena com um pedido de ajuda que o BCE e a Comissão Europeia não achavam necessário.

A mais-valia do caso português é a preocupação do memorando inicial com a economia, a equidade nos sacrifícios e o largo apoio político e a compreensão social pelas dificuldades.

Passos Coelho fez em Setembro uma revisão clandestina do Memorando da Troika, sem ouvir o PS nem informar o Parlamento, apresentou um orçamento que manipula dados sobre o desvio na execução de 2011 e afunda a recessão de 2012 e, face à crise que afinal é internacional e à insurreição da banca, anunciou no Paraguai uma nova revisão do acordo externo.

Estamos no momento decisivo em que a maioria de direita tem de escolher entre arrepiar caminho, valorizar o consenso político e social e corrigir as iniquidades do Orçamento denunciadas por Cavaco ou marchar como visionários do paraíso liberal para o colapso social.

É neste momento que o PS tem a obrigação de ser tão responsável como quando negociou com a troika e uma oposição firme que não se seduza por migalhas de poder, ou pela bonomia dos bispos do pensamento único, e jamais ache que a Constituição e o Estado de Direito são incidentes processuais.

Opinião segundo as regras do Acordo Ortográfico

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)