Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Perigo das más ideias

O Ministério das Obras Públicas costuma ser um feudo tradicional de engenheiros. Mas para o novo Governo José Sócrates escolheu o economista António Mendonça.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 25 de Outubro de 2009 às 00:30

O perfil técnico do homem forte do Ministério que mais milhões vai gastar nos próximos anos é  um bom indício.  Espera-se que o professor de Economia não esqueça o rigor que ensinava aos seus alunos no Quelhas e que decida aplicar o dinheiro apenas quando a relação custo/benefício o justificar. Como escreveu recentemente o Nobel Paul Krugman ,   não podemos esquecer o poder destruidor  das más ideias. E nas Obras Públicas há o perigo da tentação patriótica do betão fazer esquecer  o custo das más opções para os contribuintes.  Maus exemplos não faltam.  

O caso mais paradigmático e recente é o dos Estádios do Euro’. Portugal não precisava de tantos, mas a euforia levou à construção de oito. Com excepção dos construtores, ninguém ganhou com a opção.

Os Estádios de Aveiro, do Algarve, Leiria e do Bessa são monumentos caros à imbecilidade das más decisões políticas.

Os projectos faraónicos podem afundar mais um País dependente do financiamento externo, com um endividamento público real superior ao PIB. Mas parte da dívida está escondida.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)