Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

Produzam os chineses

Espero estar a ser injusto – e gostaria de pedir desculpa por esta eventual má avaliação dentro de um curto prazo – mas, por agora, o que se pode prever é que o movimento sindical português, que já estava a entrar num beco, com este novo líder da CGTP deu vários passos em frente. <br/>

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 28 de Janeiro de 2012 às 01:00

A dialéctica. O problema é a dialéctica. O movimento sindical dominado pelo PCP não procura sínteses. Pugna por teses. Velhas teses que esquecem o trabalho precário - gente dificilmente quotizável ou até classificável. Teses que não contavam com esta globalização. Teses que depressa esqueceram cânticos para unir os "famélicos da Terra".

Agora o que conta são os direitos adquiridos por quem está num qualquer ‘quadro' de uma qualquer entidade, de preferência pública. Mesmo que esses direitos impliquem a multiplicação dos jovens desempregados domésticos e a exploração de mão-de--obra quase escrava lá para nascente do globo.

Com estes ditadores da tese, quem quer que veja o Mundo a mover-se torna-se num inimigo de classe. Mesmo que a classe definhe nos contáveis instalados. Estes sindicatos parecem ter como razão de ser a defesa dos empregados contra o trabalho. Como seria interessante ver um fundo soberano chinês com o controlo financeiro, por exemplo, da CP. Veríamos então.

Verdade seja dita: nos tempos que correm, a balança está perigosamente inclinada para o capital e seus agentes selvagens. E por isso o tal capital foge da Europa a sete pés para o último paraíso das teses cantadas pelos nossos dinossauros.

Produzir? Produzam os chineses, camaradas!

POSITIVO: JOSÉ MOURINHO

Mostrou a coragem necessária à vitória, mesmo só tendo empatado. Também no futebol os clássicos épicos fazem sentido. Para não perder, é necessária a sede que traz vitórias.

NEGATIVO: NUNO SANTOS

Afinal a Informação da RTP revê-se ou não no programa que o ministro Relvas levou a Angola? Se mensagem e estética foram fracas, o silêncio posterior é vergonha?

mil palavras octávio ribeiro cgtp carvalho da silva
Ver comentários