Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Profissões de risco

A fava saiu desta vez à Polícia Marítima e especialmente ao agente Adriano Martins e à sua família. Um veleiro com 5 alemães a bordo virou-se à entrada do porto da Figueira da Foz.

Carlos Anjos 12 de Abril de 2013 às 01:00

Dado o alerta, elementos da PM deslocaram--se de imediato para o local. Num pequeno bote, três agentes lutavam contra a forte ondulação apenas para salvar os náufragos. O Agente Adriano caiu à água, acabando por morrer. Importa, no momento em que se tenta cortar tudo e mais alguma coisa e em que se entende que na Função Pública só existem malandros que vivem à custa do Estado sendo os únicos responsáveis pelo estado das finanças públicas, que também existem pessoas que diariamente põem o seu bem mais valioso, a vida, à disposição da comunidade e do País. Foi nesse momento de serviço público, a tentar salvar vidas – e salvou pelo menos 4 –, que Adriano Martins perdeu a vida. Quantos desses sábios em finanças públicas que acham que poder reformar-se dois anos mais cedo ou auferir um mísero subsídio de risco é um privilégio, um crime lesa-pátria, teriam a coragem de Adriano Martins? Poucos. Trabalhar em folhas de Excel é afinal muito mais fácil.

profissões risco polícia marítima coragem
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)