Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Magalhães e Silva

Prós e Contras

Enquanto o combate à corrupção constituir uma prioridade retórica, serei o último a criticar Marinho Pinto pelas declarações sobre corrupção, ou a exigir-lhe nomes e denúncias. Aqui, clamar publicamente continua a ser uma exigência do Estado de Direito.<br/><br/>

Magalhães e Silva 5 de Junho de 2009 às 00:30

Mas quando se reconhece que as más práticas na advocacia são objecto de denúncia e de sanção, e que não existe qualquer indicação de menor zelo por parte dos órgãos disciplinares da Ordem dos Advogados, vir o Bastonário fazer a denúncia pública das más práticas de alguns é um ataque inútil à classe que lhe cumpre defender. O que não constitui qualquer surpresa para quem tenha assistido ao último ‘Prós e Contras’.

Nem debate das razões que opõem o Bastonário aos Conselhos Distritais, nem esclarecimento (?) do quadro em que Marinho Pinto apresentou ao Governo uma proposta de alteração de Estatutos que lhe garante a impunidade disciplinar, e que esvazia, em seu favor, o Conselho Superior e a Assembleia Geral de várias competências. Só berraria e insulto. Em termos tais que Barreto comentou: "O mercado do Bolhão em dia de falta de peixe de lota era mais civilizado, mais educado, mais cordial."

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)