Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
30 de Outubro de 2004 às 00:00
Se por acaso, com estas restrições ao dever de informar, alguma vez mais houver políticos detidos, o País não vai saber do facto com o menor detalhe.
O leitor deixará também de ser informado que uma figura pública está sob a alçada da investigação fiscal por sérios indícios de fuga às obrigações colectivas.
Que problemas e distorções chegam ao modelo democrático? Fica em causa a transparência necessária ao exercício base da soberania – o voto. Com esta mordaça legalizada, os cidadãos não serão informados como é devido para se poder decidir em plena consciência.
A opinião pública deixa de ser o necessário factor de pressão dinâmica sobre o ‘status’ institucional. Em suma, a democracia, tal qual a concebemos, definha. O temor em revelar qualquer notícia que possa entrar, mesmo sem o jornalista saber, num caso em investigação judicial, tornará os jornais, na sua área mais nobre, meros competidores do ‘Diário da República’.
Caro leitor, comparado com o terramoto que se avizinha, o caso Marcelo não passa de um incómodo arrastar de móveis.
Ver comentários