Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
6 de Março de 2007 às 00:00
O jogo frente ao Desportivo das Aves deixou à vista limitações do plantel do Benfica e, já agora, a desconfiança do treinador Fernando Santos em relação a algumas opções que tem no grupo que dirige.
Ao optar pelo grego Katsouranis como defesa-central, Fernando Santos esclareceu o que pensa sobre o jovem brasileiro David Luiz (suplente perante o pior ataque da Liga portuguesa, com apenas um autogolo nas últimas sete partidas...) e explicou porque Beto, Miguelito ou João Coimbra não são titulares.
O facto de ter colocado Derlei como médio-esquerdo (ou lá o que era...) foi uma má opção, que acabou por prejudicar Simão Sabrosa, assim obrigado a defender mais e a pisar terrenos demasiado recuados. Por isso, o Benfica dos primeiros 45 minutos pressionou pouco e nunca teve quem pegasse na bola, asfixiado pela pressão competente do adversário.
Ao intervalo, Fernando Santos colocou Simão à esquerda, Derlei na direita e Nuno Gomes nas costas de Miccoli. E foi assim, já mais longe da marcação implacável de William e Sérgio Nunes, que o ‘21’ descobriu o caminho para a primeira vitória na Liga em deslocações ao norte do País. Mesmo a tempo de pôr fim às discussões estéreis sobre o melhor goleador nacional em actividade na Liga portuguesa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)