Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
11 de Abril de 2006 às 00:00
SIM
Apesar de ser uma questão à qual apenas a instituição pode responder, o exemplo da Rádio Renascença – líder de audiências há anos – indica que essa é a decisão certa para muitos milhares de católicos. O mercado é livre e a Igreja Católica deve trabalhar para os seus fiéis da forma que melhor entender. Afinal, como acontece com qualquer outro canal, só vê quem quer...
Fátima Vilas-Bôas, Editora de Cultura & Espectáculos
NÃO
Neste Estado laico, a Igreja deve preocupar-se, sim, com a resolução da crise das vocações e procurar uma relação de proximidade com o Homem. O recurso à TV poderia abrir caminho a mais canais de religiões ou seitas, de forma clara ou camuflada, contribuindo para o aumento da economia paralela e, claro, para a ruína dos que ainda acreditam, meus irmãos, em certas bênçãos...
Ricardo Tavares, Editor de Televisão & Media
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)