Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
20 de Outubro de 2007 às 00:00
SIM
Por muita urticária que isso cause a estadistas que ambicionam ir além da nota de rodapé nos livros de História, tratados que provoquem alterações na soberania nacional devem ser sujeitos à apreciação dos eleitores. Nem que, como é hábito na União Europeia, se repita o referendo as vezes necessárias até sair o resultado ‘correcto’.
Leonardo Ralha | Editor de Sociedade
NÃO
O Tratado de Lisboa não institui um Estado federal nem implica transferências de soberania. A sua ratificação pode ser feita por via popular ou parlamentar. Ambos os métodos são legítimos, mas devemos pensar nas consequências de um ‘não’ no referendo. A Europa precisa de um tratado e a via parlamentar é a mais prudente.
José Rodrigues | Editor de Política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)