Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Alexandre Ganhão

Um dia a casa vai abaixo

O sismo de Aquila, em Itália, veio trazer a lume o problema da reconstrução das zonas atingidas por catástrofes naturais. Em Portugal apenas 10% dos proprietários (de prédios em propriedade horizontal) têm coberturas de risco sísmico.

Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 2 de Maio de 2009 às 00:30

Há mais de um ano que o Ministério das Finanças, através de Carlos Costa Pina, tenta por de pé um Fundo de Catástrofes que serviria para fazer face à eventualidade de um tremor de terra em Portugal. As seguradoras têm resistido a financiar tal fundo, que deverá arrancar com um valor de 50 milhões de euros. Quem vai pagar? Os consumidores. O Governo vai tornar obrigatório, a partir de Janeiro de 2010, a cobertura de riscos sísmicos a todos os proprietários portugueses... mais vale prevenir do que remediar.

Um milionário russo está em negociações para comprar a estalagem da Guia em Cascais.

A EDP que teve lucros de mil milhões de euros, cobra 1,5 euros por um café na esplanada do Museu da Electricidade em Belém.

O fim da cobrança do aluguer dos contadores da luz vai trazer um frente-a-frente interessante entre António Mexia e Fernando Serrasqueiro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)