Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Um gato assustado

Viajar quase 300 quilómetros com uma metáfora no banco de trás do automóvel nunca poderia deixar de ser interessante, por muito que a metáfora não tenha apreciado, a avaliar pelos incessantes miados e pelas tentativas de roer as grades da gaiola de transporte.

Leonardo Ralha 9 de Agosto de 2013 às 01:00

A primeira viagem do gato Augusto Gil para lá das traumáticas visitas ao veterinário, a dois quarteirões de casa, foi uma odisseia no desconhecido, com cada curva, travagem e aceleração a anularem o alegado efeito relaxante de um spray de feromonas felinas.

Chegado a uma casa desconhecida, sem imaginar que a habitará apenas durante uma semana, tratou de encontrar esconderijos para iludir perigos reais e imaginários, demonstrando que o agravamento (ainda que temporário) das condições de vida aproximou-o dos compatriotas humanos, também eles forçados a encetar uma viagem com destino a um futuro em que têm garantidos mais impostos, menos reforma e mais anos de trabalho.

Todos os portugueses, mesmo aqueles que já sabiam que os swaps não envolviam trocas de casais, são como um gato enfiado no banco de trás de um automóvel. Mas no caso deles é por muito mais do que uma semana.

Leonardo Ralha Dia a Dia gato viagem automóvel metáfora transporte Augusto Gil
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)