Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
28 de Fevereiro de 2006 às 00:00
Porque Florentino começou no Real com Figo e por causa de Figo e acaba pouco depois de se desfazer – é o termo – de Figo. Porque as suas muitas empresas, nomeadamente a construtora ACS, têm muito a ver com Portugal. E teve muito a ver com a ascensão ao poder de José María Aznar e do PP.
Os maus resultados futebolísticos acabaram com o sonho de Florentino no Real Madrid, provando que dirigir o futebol é uma actividade muito exigente, mesmo para quem fala de modernidade como regularmente ele fazia.
Florentino foi o presidente que levou mais longe a ideia de que acabar com as fronteiras – no futebol, o famoso acórdão Bosman – permitia tudo, desde que houvesse dinheiro.
Triplicou o orçamento do clube em seis anos, o governo espanhol apoiou-o ao máximo. Ganhou dois campeonatos e uma ‘Champions’, recriou um mito mas não aguentou a bola na trave. O futebol, para Florentino, é mais difícil de entender do que a vida.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)