Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
31 de Dezembro de 2005 às 00:00
O caso mais evidente de crise nos grandes é o Sporting. O capitão Beto repete o que se passou com Barbosa, ao receber uma proposta de renovação com redução de ordenado. Afinal, uma política coerente com a realidade de um clube conhecedor das suas limitações e que, em vez de comprar, pede emprestado.
Pede emprestado Abel ao Sp. Braga, pede emprestado Romagnoli a um clube mexicano, pede emprestado Caneira – e veremos se o terá… – ao Valência. Aplauda-se o reconhecimento do pouco que se tem na carteira, critique-se a falta de tino com que se foram perdendo jogadores formados em casa e que depois enchem os cofres dos rivais: Simão, Quaresma e agora possivelmente José Fonte.
Fonte é uma das aquisições de um Benfica mais virado para jogadores da nossa Liga do que para vedetas internacionais caídas em descrédito. E se tanto ele como Manduca são jogadores de nível médio-alto, o que faz confusão é a razão pela qual o Benfica – que tem Luisão, Anderson, Ricardo Rocha e Alcides – quer mais um defesa-central.
Tal como, já agora, me confundem as razões pelas quais o FC Porto – que tem Baía, Helton, Paulo Ribeiro e Bruno Vale à espera de vez – quer Moretto. Se é para fazerem pirraça um ao outro, mais valia que pedissem emprestado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)