Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Uma estátua

No início, a ideia era ‘requalificar’ os funcionários públicos excedentários. Como? Removendo-os para uma categoria à parte, onde ganhariam 2/3 do salário (nos primeiros 6 meses) e um pouco menos (nos últimos seis).

João Pereira Coutinho 15 de Setembro de 2013 às 01:00

Depois, o funcionário seria ‘recolocado’ (uma hipótese ténue) ou passaria a desempregado pleno (com subsídio, claro). Esta inominável violência, que faria as delícias de qualquer trabalhador do privado, foi recusada pelo Tribunal Constitucional.

O que implicou uma nova proposta: o funcionário público terá 40% do salário até à reforma – uma espécie de subsídio de desemprego vitalício – e poderá ainda acumular essa maquia com uns biscates no privado. Não sei o que irá dizer o TC desta nova exibição de violência. Mas sei qual seria a resposta que o dr. Passos merecia se ela fosse dirigida aos funcionários do privado: uma estátua.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)