Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
7 de Janeiro de 2005 às 00:00
SIM
Apesar da aplicação deste tipo de método carecer de um debate alargado, o certo é que torna-se legítimo saber quem está numa manifestação por convicção e quem lá está por missão, sobretudo quando a missão é agitar. Mais preocupante é o uso de câmaras em superfícies comerciais em empresas, controladas por gente que não é uma autoridade. Curioso é que com isso ninguém se preocupa.
Miguel Martins, Subeditor de Sociedade
NÃO
Filmar manifestações com o intuito de daí extrair imagens ‘incriminatórias’ dos participantes é, antes de mais, um abuso. É que a captação de imagens só deve ser feita com o consentimento do indivíduo e, no caso de Canas de Senhorim, não há registo de que os manifestantes as tenham autorizado. A medida, contudo, tem um alcance maior, já que inibe os indivíduos de participarem em actos semelhantes.
Luís F. Silva, Subeditor Cultura & Espectáculos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)