Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
12 de Agosto de 2003 às 00:00
Eduardo Catroga, o ministro das Finanças que iniciou a retoma que acabou com a recessão de há dez anos, em entrevista publicada ontem no ‘Jornal de Negócios’ revela números assustadores. O défice de exploração anual das empresas públicas ronda os 0,8% do PIB. O passivo financeiro acumulado destas empresas corresponde a 6% do PIB. Em números redondos as dívidas das empresas do Estado corresponderão a mais de 7,7 mil milhões de euros (mais de 1,5 mil milhões de contos). É uma factura demasiado pesada para os contribuintes. Corresponde a uma dívida de 150 contos por cada cidadão. E o pior de tudo é que é difícil ver na qualidade do serviço prestado por essas empresas públicas, a utilidade do dinheiro gasto.
Ver comentários