Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4

Votar em segurança

É obrigação de cada português em condições de votar que o faça.
Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 22 de Janeiro de 2021 às 00:32
Caso algum dos candidatos tenha mais de metade dos votos, o próximo Presidente da República vai ser eleito domingo, no meio de um ambiente de pandemia emocional generalizada.

A campanha eleitoral foi um objeto estranho no nosso dia a dia. O debate esteve permanentemente sufocado pelo sofrimento e pela dor coletiva, mas também pelos sinais crescentes de desorientação do poder.

A generalidade dos candidatos insistiu demasiado em temas insuscetíveis de mobilizar os portugueses.

O medo é inimigo da democracia. Só em segurança a comunidade de cidadãos conscientes pode decidir em liberdade. Mas a falta de planeamento é mal que nos afeta o ADN de nação com 900 anos de História. E por isso aqui estamos. Um daqueles 7 candidatos será chefe do Estado.

É obrigação de cada português em condições de votar que o faça. Domingo, o seu CM trará conselhos para votar em segurança, de forma a baixar o risco de contágio. O que está em jogo é demasiado relevante para a nossa vida coletiva para ficar nas mãos do acaso ou da doença. Se à pandemia acrescentarmos a doença das instituições, aí daremos mais um passo para a nossa desgraça coletiva.
nota editorial
Ver comentários