Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9

Investidor procura-se

Urgência do encontro vincula Rui Costa a qualquer resultado.
Paulo Oliveira Lima 22 de Outubro de 2021 às 00:33
A venda de parte da SAD do Benfica a um investidor dividiu os adeptos. O negócio emergiu da investigação feita à liderança de Luís Filipe Vieira como um ato pouco claro na sua gestão.

Embalados pelo pessimismo do momento, os adeptos criticaram a decisão desconhecendo as reais intenções do investidor com passado empresarial pouco conhecido no nosso país. A ideia de transformar o emblema numa marca global fazia sentido, se olharmos para o mercado português desprovido de receitas, mas levantava receios porque os adeptos temiam perder o controlo. Mas esse medo parece não ter demorado muito a desaparecer.

Apenas duas semanas após ser eleito, na manhã seguinte a uma das maiores derrotas da história do clube na Europa, os líderes do Benfica abriram as portas da Luz a John Textor para conhecer o seu projeto, fazendo dele uma das primeiras medidas desta direção. O mesmo que, dias antes, não era considerado prioritário.

A urgência do encontro vincula Rui Costa a qualquer resultado que emane desta parceria com o milionário. E cola ao presidente do Benfica a imagem de continuidade imediata das ideias da direção de Luís Filipe Vieira, que também foi sua.
SAD Benfica Luís Filipe Vieira desporto futebol
Ver comentários