Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião

Luvas FC

Processos mostram como a rentável atividade se tem vindo a expandir.
Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt) 23 de Novembro de 2021 às 00:31
A investigação do Ministério Público e da Autoridade Tributária tem vindo a destapar o mundo dos comissionistas da bola. Uma espécie de Luvas FC que atravessa o FC Porto e o Benfica, bem como outros clubes que andam nas respetivas órbitas.

Os processos que visam Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, a partir da investigação inicial aos contactos dessas figuras emergentes no comissionismo, Bruno Macedo, Pedro Pinho e Alexandre Pinto da Costa, mostram como essa rentável atividade se tem vindo a expandir.

Há muito instalada no mercado das transferências de jogadores, como evidenciam as buscas realizadas ontem, está a crescer para outro tipo de contratos, de que a questão dos direitos de televisão é um novo paradigma.

Com esta espiral de gula, o futebol arrisca-se a ser um mero cabide para um fato vestido por este tipo de empresários e, cada vez menos, por aquilo que é a sua essência originária, os adeptos, a tradição desportiva, a saudável rivalidade clubística. E palco de bestas como os que ontem atacaram os jornalistas da CMTV, no Porto, gente que não pode continuar a gozar da mais pura e destrutiva impunidade.
Ver comentários