Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4

A tragédia nos lares

De nada serviu termos tido mais tempo para nos prepararmos.
Editorial CM 26 de Março de 2020 às 00:32
O pior cenário paira sobre nós, como uma nuvem cinzenta que se adensa rapidamente. O vírus está a entrar em força nos lares de idosos de todo o País. Já sabemos que em Itália e em Espanha esse foi o momento em que a emergência sanitária se transformou numa tragédia humana de proporções gigantescas.

Até ao ponto em que estamos, é justo o seguinte balanço: de nada serviu termos tido mais duas semanas para nos prepararmos. Pelo contrário. Dá a sensação de que os poderes e as autoridades de saúde se fiaram na virgem, e ainda por cima não correram. Não prevenimos. Não nos preparámos. Não traçámos planos para reagir assim que os primeiros sinais de coronavírus aparecessem na comunidade dos lares de idosos.

É difícil manter a esperança numa solução tranquila para este problema, quando ouvimos uma figura como o padre Lino Maia queixar-se, também ele, da falta de luvas e de máscaras, quando o que devíamos estar a debater era a melhor forma de acudir a todos os que estão infetados, e a implementá-lo, de forma a atenuar a dor individual e a dimensão global da tragédia. Cuidado: com este grau de impreparação, o pior pode muito bem estar ainda para vir.

Carlos Rodrigues
País Espanha Itália questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)