Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4

Fascismos em troca do OE

Há uma pseudoelite urbana que está no poder, desconhecedora do País real e que nem sequer respeita os direitos dos outros.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 15 de Outubro de 2021 às 00:32
O Governo paga com uma medida totalitária, digna dos novos fascismos que ameaçam a civilização ocidental tolerante, o voto do PAN ao Orçamento do Estado.

A proibição de menores de 16 anos assistirem a touradas e o impedimento de menores daquela idade exercerem qualquer atividade em praças é uma intrusão do Estado no direito de escolha das famílias e um cerceamento ao direito constitucional de cada pessoa escolher o seu trabalho.

Proibir artistas de atuar perante o público antes dos 16 anos é tão grave como impedir bailarinos ou atores da mesma idade de subir aos palcos.

Os jovens que queiram exercer uma atividade no mundo taurino se aos 16 anos não tiverem experiência de praça, nunca poderão chegar a grande nível.

Aos 16 anos já João Moura era uma figura do toureio, tal como os seus filhos mais velhos. Todos os artistas da dinastia Ribeiro Telles, Rui Fernandes, os filhos de Bastinhas, Rouxinol ou Paulo Caetano, só para referir alguns exemplos, não teriam atingido o nível artístico que alcançaram se fossem impedidos de entrar numa arena antes dos 16 anos.

Há uma pseudoelite urbana que está no poder, desconhecedora do País real e que nem sequer respeita os direitos dos outros. Só em ditaduras é que é possível limitar eventos culturais por uma questão de gosto.

Ver comentários