Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
16 de Setembro de 2015 às 00:30
Os incentivos à natalidade por via fiscal são os mais bondosos e atrativos para os casais de classe média. A subsidiação direta, na área da natalidade, pode gerar uma perversa noção de negócio. Próximas das barrigas de aluguer, ficam as pouco saudáveis, socialmente, barrigas do Estado.

É por via fiscal, pela discriminação positiva de mãe e pai nos horários de trabalho, pela adequação da oferta pública de creches, e bonificações em consumos de água e luz, que podemos combater este dramático deserto demográfico.

Importantes autarquias não mostram sensibilidade face ao problema? Ponderem melhor, por favor.

Clique para aceder ao texto que deu origem a esta opinião: 861 mil famílias com direito a baixa de IMI
opinião octávio ribeiro olhar cm bebés da esperança natalidade incentivos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)