Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Receita trava devolução

Fisco cobrou mais impostos até outubro.
Pedro H. Gonçalves 26 de Novembro de 2015 às 07:55
Direção Geral do Orçamento, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, Parlamento
Direção Geral do Orçamento, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, Parlamento FOTO: João Relvas
O Fisco cobrou mais 1591 milhões de euros até outubro do que em igual período do ano passado. São mais cinco milhões de euros diários arrecadados pelos cofres públicos na forma de impostos, mas, apesar da subida da receita fiscal para níveis recorde, a devolução da sobretaxa será nula.

Os dados da Direção Geral do Orçamento mostram uma quebra no IRS, que está 300 milhões abaixo das estimativas das Finanças. Mesmo com o desempenho positivo do IVA, a manter-se esta execução não há lugar a qualquer devolução de sobretaxa em sede de IRS. O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, no último dia no cargo, foi ao Parlamento justificar como a estimativa de devolução da sobretaxa passou de 35%, antes das eleições, para agora um valor nulo.

Apontando para o fraco desempenho do IRS, o governante salientou: "Devolver a sobretaxa nunca foi uma promessa".

O défice orçamental aumentou 1,6 mil milhões de euros de setembro para outubro e os juros pagos nos primeiros dez meses do ano já totalizam 6,7 mil milhões de euros. Só para a troika, foram 1,8 mil milhões de euros entre juros e encargos.

Clique para ler o especial Legislativas 2015: Portugal a votos
Ver comentários