Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Submarinos custam 12 milhões em revisões

Despesa com a manutenção no estaleiro na Alemanha.
António Sérgio Azenha 23 de Maio de 2016 às 09:19
O custo dos dois submarinos, adquiridos em 2004 ao consórcio alemão German Submarine Consortium, ultrapassou os mil milhões de euros, juros incluídos
O custo dos dois submarinos, adquiridos em 2004 ao consórcio alemão German Submarine Consortium, ultrapassou os mil milhões de euros, juros incluídos FOTO: Pedro Catarino
Os dois submarinos comprados ao German Submarine Consortium (GSC) em 2004, pelos quais Portugal pagou mais de mil milhões de euros (juros incluídos), já custaram 12 milhões de euros em revisões técnicas. No início deste mês, o ministro da Defesa assinou o despacho que determina a receção definitiva dos dois submergíveis, cuja entrega provisória à Marinha ocorreu em 2010.

As revisões técnicas dos submarinos foram realizadas, segundo o Ministério da Defesa, entre 2012 e 2015. Nos encargos totais de 12 milhões de euros estão incluídos os "trabalhos de manutenção planeada para execução durante a docagem" do ‘Tridente’ e do ‘Arpão’, que foram efetuados em 2011, 2014 e 2015 na Alemanha, e a aquisição de peças sobresselentes. Com base nessa despesa total, a revisão técnica dos submarino custou em média três milhões de euros por ano.
As grandes revisões dos submarinos geraram, segundo os contratos publicados no portal dos contratos públicos, uma despesa de 10,5 milhões de euros: no caso do ‘Tridente’, os encargos rondaram 5,3 milhões de euros; no caso do ‘Arpão’, o custo atingiu quase 5,2 milhões de euros.

A aquisição de peças sobresselentes implicou uma despesa de 1,5 milhões de euros. Por exemplo, cada uma das antenas radar compradas para os dois submarinos custou 410 mil euros.

Para já, o despacho do ministro da Defesa para a Marinha ter a receção definitiva dos submarinos aguarda publicação em Diário da República. Assinado por Azeredo Lopes em 5 de maio passado, o diploma diz, segundo o Ministério da Defesa, que estão reunidas "as condições cumulativas para que o Estado proceda à receção definitiva do NPR Tridente e do NPR Arpão".

O ministro da Defesa deu indicações para ser comunicada ao GSC a receção definitiva e para ser levantada a garantia do GSC do cumprimento do contrato.
submarinos revisões economia Alemanha estaleiros
Ver comentários