Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

PCP propõe nacionalização imediata do Novo Banco

Comunistas propõem que Governo reverta contrato de venda do banco.
Lusa 22 de Maio de 2020 às 17:22
Atraso na auditoria à gestão do Novo Banco trama Mário Centeno
Atraso na auditoria à gestão do Novo Banco trama Mário Centeno

O PCP propôs esta sexta-feira, na Assembleia da República, que se "inicie de imediato o processo de integração" do Novo Banco "na esfera pública" ou nacionalização.

Os comunistas propõem que "o Governo reverta o contrato de venda do Novo Banco, garantindo que eventuais indemnizações incidam exclusivamente sobre o montante injetado pela Lone Star, deduzido de eventuais ganhos decorrentes da gestão de ativos do banco, ou de práticas de gestão danosa", lê-se numa nota divulgada pelo grupo parlamentar.

O PCP propõe, igualmente, "uma avaliação extraordinária da política de gestão de ativos, património e perdão de dívidas no Novo Banco, da idoneidade dos seus administradores, nomeadamente no que diz respeito à política de prémios e à política salarial da administração e dos gestores de topo".

Quase à mesma hora a que foi anunciado o projeto de lei de nacionalização do Novo Banco, Jerónimo de Sousa, secretário-geral dos comunistas, criticou, numa audição com sindicalistas, a continuada injeção de dinheiro pelo Estado.

Quando Jerónimo lembrou que o seu partido tinha proposto a criação de um fundo público, financiado pelo Orçamento do Estado, para garantir os salários aos trabalhadores, fez uma pergunta e ele próprio deu a resposta: "Dirão que é preciso percebermos que não há dinheiro, ao que bastará responder com duas palavras: Novo Banco."

"Enquanto uns se entretêm com a discussão sobre se deve haver ou não auditoria, para o Novo Banco, tal como aconteceu nos últimos anos para a banca na generalidade, escorrem milhares de milhões de euros sem que os bancos fiquem na posse do povo português", disse.

No texto que acompanha o projeto de lei, recorda-se a a transferência de "mais 850 milhões de euros para o Novo Banco" dará razão ao partido que, no Orçamento do Estado de 2020, propôs que "qualquer transferência para o Novo Banco deveria significar o início do processo de recuperação do seu controlo público".

Os contribuintes portugueses "continuam a pagar o buraco sem fundo da ruinosa gestão privada da banca, e no final o banco continua a ser privado, e não é colocado ao serviço do país", segundo o PCP.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)