Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

“A liberdade religiosa não está resolvida”

O primeiro-ministro, José Sócrates, considerou esta segunda-feira, na abertura do III colóquio internacional sobre “O contributo das religiões para a paz”, que a liberdade religiosa não é “um assunto resolvido”, pelo que é necessário para o efeito um empenhamento permanente da comunidade política.
23 de Junho de 2008 às 14:56
O primeiro-ministro, José Sócrates
O primeiro-ministro, José Sócrates FOTO: d.r.

No colóquio internacional, em curso até amanhã, em Lisboa, o chefe do Governo sublinhou que “a liberdade religiosa exige o empenhamento permanente da comunidade política”.

Atendendo a “sintomas” que não permitem que tolerância religiosa possa ser entendida como “um dado adquirido”, Sócrates defendeu que esta realidade pode ser invertida caso sejam proclamados valores democráticos como “a aceitação da diversidade e tolerância”, “o respeito pela diferença”, bem como “a igualdade de dignidade a todas as crenças”.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)