Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Amnistia alerta para os efeitos da austeridade

Amnistia Internacional está preocupada com os grupos considerados mais vulneráveis como os idosos, crianças ou desempregados.
5 de Maio de 2013 às 08:33

A Amnistia Internacional (AI) apelou este domingo, numa iniciativa inédita, à União Europeia (UE) para que considere o impacto da austeridade nos direitos humanos, nomeadamente em grupos considerados mais vulneráveis como os idosos, crianças ou desempregados.

Em declarações à Lusa, a diretora executiva da Amnistia Internacional Portugal, Teresa Pina, afirmou que a organização entende que "a questão dos direitos humanos tem estado ausente das respostas que têm sido previstas ou decididas para fazer face à crise".

"Independentemente de os governos poderem invocar que as medidas de austeridade são necessárias ou que por razões diversas são imperativos os cortes na despesa pública, por exemplo, a AI entende que isso deve ser feito, mas de forma equilibrada e tendo em conta, sem descurar, a proteção dos direitos humanos", sublinhou a representante.

amnistia internacional direitos humanos austeridade cortes pobreza
Ver comentários