Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

André Silva do PAN passa de deputado solitário a líder de grupo parlamentar

PAN é um grupo a quatro folhas. Com mais poder para tirar contrapartidas do Governo.
Sérgio A. Vitorino e Rui Pedro Vieira 7 de Outubro de 2019 às 08:35
A carregar o vídeo ...
PAN é um grupo a quatro folhas. Com mais poder para tirar contrapartidas do Governo.
A noite eleitoral foi música para o PAN (Pessoas-Animais-Natureza), que conseguiu o que se propôs: ter um grupo parlamentar. Já pode contar para uma solução de maioria, embora não assuma esse papel.

E ainda mordeu os calcanhares ao CDS, deixando Cristas em pânico - mitologicamente o efeito sofrido por quem, em momentos de solidão, enfrenta o deus grego Pan, da natureza, campos e rebanhos. André Silva conduziu o partido à eleição de quatro deputados - partindo do seu mandato solitário de 2015.

E como um dos vitoriosos da noite, pôde anunciar a chegada ao lugar da festa para as 21h00, depois 21h30 até finalmente aparecer às 22h17 - pela hora que os resultados oficiais o davam como eleito e já duplicava os votos de 2015 - ainda cauteloso com "projeções boas" e pedindo para se "aguardar" quando o pavão já dormia (ver caixa) e Cristas já se tinham demitido.

O PAN (grego para tudo) esteve próximo de uma noite ainda mais épica - as projeções chegaram a dar ao partido um máximo de 6 a 8 deputados. Mas os quatro eleitos já darão para, como este domingo lembrou Duarte Cordeiro (PS), negociar "em alguns momentos" com o governo.

"O PAN está disponível para continuar a dialogar, tal como até aqui tem sido feito, para contribuir para o processo democrático", disse Inês Real, eleita segunda deputada por Lisboa. Às 00h33 de hoje André Silva ainda não tinha subido ao púlpito e discursado.

O pavão foi o primeiro a chegar
Marreco, um pavão do Palácio Pimenta, no Campo Grande, Lisboa, foi o primeiro a chegar, às 18h00, à zona dos discursos no edifício que o PAN escolheu como poiso. Mostrou-se aos jornalistas e depois voltou ao recato do jardim.

Um engenheiro, uma psicóloga e duas advogadas
No Parlamento, o PAN será liderado por André Silva, 43 anos, único eleito pelo partido em 2015. É engenheiro civil, com mestrado em Património Arquitetónico e Artístico. Estreias para Bebiana Cunha, 33 anos, psicóloga (eleita pelo Porto), Inês Real, 39, (eleita por Lisboa), jurista na Câmara de Sintra e mestre em Direito Animal, e Cristina Rodrigues, 34 (Setúbal), advogada.

CRONOLOGIA DO DIA
11h05
André Silva votou na escola António Damásio, Olivais, Lisboa. "Não somos um partido de Governo, não queremos estar no Governo, não é o tempo de o PAN estar no Governo", disse.

19h13
Inês Real, nº 2 por Lisboa, na 1ª reação: "É preciso perceber porque é que há tanta gente que não vai votar". Uma hora depois estava feliz com as projeções.

22h17
André Silva chega à sede improvisada para a noite eleitoral. Discurso só de madrugada.

FRASES DA NOITE
- "Pela primeira vez, o PAN tem um grupo parlamentar"
- "Que grande noite, que noite feliz"
- "Vai dar-nos força para termos mais direitos na Assembleia, estar presentes em mais comissões e termos assim mais trabalho em prol das causas e valores do PAN"
- "O nosso grande objetivo está alcançado"
- "O PAN não pode deixar de felicitar as novas forças"
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)