Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

António Costa demite Pedro Nuno Santos

Primeiro-ministro desautorizou o ministro das Infraestruturas e Habitação e revogou despacho sobre aeroportos.
Correio da Manhã 30 de Junho de 2022 às 10:53
A carregar o vídeo ...
“Será necessário que o Governo dê explicações”: Marcos Perestrello sobre polémica com despacho dos aeroportos
O primeiro-ministro António Costa vai demitir Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e Habitação, após ter revogado o despacho sobre o Plano de Ampliação da Capacidade Aeroportuária da Região de Lisboa, publicado esta quarta-feira e que diz respeito à construção dos novos aeroportos no Montijo e Alcochete. A notícia é avançada pelo Público.

Segundo o jornal, se Pedro Nuno Santos não se demitir no âmbito da polémica com o despacho, será António Costa a avançar com a demissão do ministro. 

O primeiro-ministro, António Costa, determinou esta quinta-feira a revogação do despacho publicado na quarta-feira sobre a solução aeroportuária para a região de Lisboa e reafirmou que quer uma negociação e consenso com a oposição sobre esta matéria.

"O primeiro-ministro determinou ao Ministério das Infraestruturas e da Habitação a revogação do despacho ontem [quarta-feira] publicado sobre o novo aeroporto da região de Lisboa", lê-se num comunicado esta quinta-feira divulgado pelo gabinete de António Costa.

Em declarações ao Expresso, fonte do gabinete de António Costa diz que o primeiro-ministro "desconhecia" o despacho em causa e que "foi apanhado de surpresa".

Costa adianta, no comunicado emitido esta quinta-feira, ainda que vai ouvir em breve o líder do PSD, Luís Montenegro, que assume funções este fim-de-semana, sobre o tema, "para definir o procedimento adequado a uma decisão nacional, política, técnica, ambiental e economicamente sustentada".

O despacho em causa apresenta como solução, primeiro, o aeroporto do Montijo como solução complementar, e depois a construção de um aeroporto em Alcochete, para substituir o aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, que seria encerrado.

Pedro Nuno Santos Pedro Nuno Santos política
Ver comentários
}