Assessores de Robles custam 1,3 milhões à Câmara de Lisboa

Contrato de assessoria mais elevado estipula vencimento mensal de 3271 euros. Maioria está ligada ao BE.
Por Débora Carvalho|09.08.18
Os dez assessores contratados externamente pelo município de Lisboa para o gabinete de Ricardo Robles, antigo vereador do Bloco de Esquerda, custam cerca de 1,3 milhões de euros. Os valores variam, mas os contratos mais elevados preveem o pagamento de 3271 euros mensais, mais IVA.

Os contratos publicados no portal Base (contratação pública) de novembro de 2017 a maio deste ano – a maioria para os quatro anos de mandato – revelam que muitos dos nomes são do aparelho do partido há vários anos. Um dos exemplos é o de Rodrigo Rivera, que foi candidato pelo Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal pela Junta de Freguesia de Arroios – não foi eleito – e foi contratado para assessor de comunicação.

Segundo uma deliberação de 2 de novembro de 2017, um vereador com pelouro – como era o caso de Robles – tem direito a seis assessores e dois administrativos. É possível, no entanto, contratar mais assessores desde que não se ultrapasse a verba máxima disponível. Fonte oficial do BE garante que "o plafond máximo de contratações não foi atingido" com os os dez assessores. Os oito vereadores com pelouro – incluindo o presidente Fernando Medina – contam com 55 assessores.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!