Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Atraso de Sócrates dá férias extras

A sessão inaugural da Assembleia da República aconteceu há mais de uma semana, mas o Parlamento vai continuar suspenso até ao debate do programa de Governo, que só deverá acontecer na primeira semana de Novembro. Assim, a AR estará paralisada quase três semanas devido ao atraso no processo de nomeação do novo Executivo, o que significa férias extras para os deputados.
25 de Outubro de 2009 às 00:30
Parlamento aguarda o programa do Governo para voltar a reunir-se em plenário
Parlamento aguarda o programa do Governo para voltar a reunir-se em plenário FOTO: Pedro Catarino

Com a tomada de posse agendada para amanhã, o novo Governo tem até dia 5 de Novembro para apresentar o programa, e o debate deverá decorrer em cima da data-limite. Isto porque José Sócrates estará em Bruxelas na próxima quinta e sexta-feira para participar no Conselho Europeu, e antes de partir deverá reunir-se com a sua nova equipa para traçar os objectivos da governação. O encontro só acontecerá após a tomada de posse, o que significa que a apresentação do programa será arrastada para a primeira semana do mês de Novembro.

Em suspenso vai continuar também a bancada socialista até que sejam nomeados os novos secretários de Estado. A expectativa é de que a lista esteja concluída na próxima semana, e que a tomada de posse aconteça dia 31. Dos 36 secretários de Estado do Governo cessante, 12 foram eleitos deputados, mas estão com o mandato suspenso até amanhã. Resta saber se irão regressar ao Parlamento ou se serão chamados para integrar o Governo. A permanência de Laurentino Dias na Secretaria de Estado do Desporto é quase certa.

REFERENDO A CASAMENTO GAY

Os socialistas católicos querem um referendo sobre o casamento entre homossexuais e estão dispostos a recolher as 75 mil assinaturas necessárias para o fazer.

"É uma questão de justiça", defende o porta-voz do grupo, Cláudio Anaia, sublinhando que "os portugueses devem pronunciar-se sobre o assunto". Convicto de que a maioria dos portugueses é contra o casamento homossexual, Cláudio Anaia lamentou que o PS esteja "ideologicamente baralhado" e que defina essa proposta como prioritária quando se vive "numa altura de crise social", em vez de se concentrar "no combate à pobreza e no combate ao desemprego.

Os socialista católicos estão assim dispostos a integrar uma plataforma "multipartidária" que vai começar já na próxima semana a recolher opiniões.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)