Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Aveiro penaliza arrogância socialista

Os aveirenses acordaram ontem “ainda em choque” com a inesperada vitória de Élio Maia, encabeçando a coligação do PSD/CDS-PP. Enquanto a população fazia das eleições tema de todas as conversas – onde dominava a esperança “nas novas caras” da autarquia –, o presidente eleito tirava o dia para descansar de uma “maratona” que o levou até madrugada a visitar todas as freguesias do concelho.
11 de Outubro de 2005 às 00:00
Élio Maia
Élio Maia
Augusto Ribeiro, eleitor de Aveiro e atento à campanha eleitoral, era um dos muitos “comentadores” que, logo pela manhã, se reunia no café apresentando as suas razões para a derrota do socialista Alberto Souto. De acordo com o seu relato, a que várias cabeças acenavam em concordância, o problema do presidente foi “a arrogância”. E explica: “Ele tinha uma postura que o povo não gosta. Em contrapartida, o Élio sempre foi um homem simples. Se calhar é disso que Aveiro precisa.”
Alheio às críticas dos munícipes, Alberto Souto confirmou que não vai ocupar o lugar de vereador e adiantou ao CM que irá pedir a demissão de presidente da distrital. Quanto ao futuro diz estar “tudo em aberto”, até porque mantém o seu lugar de jurista no Banco Europeu de Investimento, no Luxemburgo.
UM VOTO DECIDIU EM MANTEIGAS
“Por um voto se ganha, por um voto se perde”. Foi assim em Manteigas. Um único voto decidiu a votação e também atribuiu a maioria absoluta a José Manuel Biscaia (PSD), que é há oito anos presidente daquela autarquia do distrito da Guarda. Quem não se conformou com a tangente derrota foi Esmeraldo Carvalhinho, candidato do PS, que pediu nova contagem dos votos.
José Biscaia obteve 46,74% da votação, fruto de 1327 votos que obteve nas quatro freguesias do concelho. Por seu turno, a candidatura do Partido Socialista obteve 46,71% da votação conquistando 1326 votos.
LIMA COSTA ARRASOU NA PESQUEIRA
António Lima Costa (PSD) foi reeleito presidente da Câmara de São João da pesqueira, com 74,98% dos votos. Dos 4988 votantes, o autarca garantiu a confiança de 3740 eleitores, contra 941 votos da candidatura do PS. Para Lima Costa esta votação representa “um acréscimo de responsabilidade”.
“Ficámos orgulhosos por termos conseguido a maior percentagem de votos do País”, acrescentou o autarca. Para os pesqueirenses esta votação representa “uma esperança e um voto de confiança num homem que fez muito pela terra”, disse a eleitora Maria Conceição.
AUTARCA QUASE FOI SACERDOTE
Manuel da Luz, presidente reeleito com maioria absoluta na Câmara Municipal de Portimão, é um homem de formação religiosa, com bacharelato em Teologia pela Universidade Católica.
O autarca iniciou “de pequeno” os estudos religiosos, mas desde cedo percebeu a sua inclinação para as questões sociais e nelas começou a envolver-se de forma activa.
O presidente da Câmara de Portimão admite que a posição ideológica religiosa “pode ser uma mais-valia” na prática política em matérias de intervenção social, mas salienta não defender que os sacerdotes assumam cargos públicos políticos.
O PADRE PRESIDENTE DA CÂMARA
Foi à segunda. Depois de ter perdido em 2001 por 50 votos, o padre Albino Carneiro, candidato do PSD/PP, conquistou no domingo a Câmara Municipal de Vieira do Minho. O ‘padre-presidente’, como já é chamado, diz que vai ser “presidente da Câmara a tempo inteiro e padre na medida do possível”. Para começar, diz que vai construir cantinas e servir refeições nas escolas primárias do concelho e pôr no terreno uma rede de transportes escolares.
Para além disso, diz que “o clima de medo faz parte do passado” e assegura que vai fazer uma gestão do município “segundo as leis do Evangelho, ou seja, assente na igualdade e na justiça”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)