Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

BARRANCOS NA ORDEM DO DIA

Várias associações de defesa dos animais iniciaram durante o fim-de-semana uma vigília em frente à Assembleia da República em protesto contra a legalização dos touros de morte em Barrancos. Os defensores dos animais prometem manter-se no local dia e noite até ao próximo dia 12, quando o projecto-de-lei for votado na hemiciclo.
30 de Junho de 2002 às 22:44
Para Miguel Moutinho, presidente da Sociedade Ética de Defesa dos Animais (SEDA), mais do que concentrar pessoas, esta vigília pretende “alertar e informar sobre o que se passa” e chamar a atenção dos deputados para as consequências da criação de um regime de excepção para Barrancos.

“A aprovação deste regime abriria caminho ao regresso das touradas de morte em Portugal, uma vez que muitas são as localidades taurinas com tradições de touros de morte”, declarou Miguel Moutinho, adiantando que a vigília está a conquistar o interesse das pessoas que por ali passam e que param para pedir esclarecimentos e assinar um manifesto simbólico.

Esta vigília terá dois pontos altos, o primeiro é já amanhã, quando a conferência de líderes agendar o debate, e o segundo será dia 12, quando o projecto-de-lei for votado.
Ver comentários