Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Batalha de números e ataques à maçonaria marcam debate dos candidatos à liderança do PSD

Montenegro e Pinto Luz apontaram Rio como o dirigente do PSD com piores resultados eleitorais.
Diana Ramos 5 de Dezembro de 2019 às 08:58
Os três candidatos que concorrem às diretas do PSD, Rui Rio, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz no primeiro debate, que teve ontem lugar na RTP
Os três candidatos que concorrem às diretas do PSD, Rui Rio, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz no primeiro debate, que teve ontem lugar na RTP FOTO: Sérgio Lemos
O primeiro debate entre os três candidatos à liderança do PSD ficou marcado por uma guerra de números eleitorais, com Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz a apontarem Rui Rio como o dirigente do partido que nos últimos anos alcançou piores resultados eleitorais. O atual líder não gostou da críticas e depois de rebater apontou baterias aos rivais, colando-os à maçonaria.  

Montenegro acusou Rio de ter transformado o PSD numa "espécie de PS número dois, secundarizando a sua vocação como partido maioritário" e frisou que os 27,9% alcançados em outubro não são "um resultado que lhe dê condições para continuar a liderar". O antigo líder parlamentar rejeitou a ideia atirada por Rio de que os críticos internos foram em parte responsáveis pelo desaire eleitoral. "É uma desculpa esfarrapada da guerrilha interna que não colhe."

Também Miguel Pinto Luz sublinhou que "é obvio que Rui Rio tem de explicar o que vai alterar na receita, porque a que nos trouxe até aqui é uma receita errada".

Na resposta, o atual presidente recordou os maus resultados em eleições de Montenegro em Matosinhos e de Pinto Luz em autárquicas enquanto presidente da distrital de Lisboa. E por várias vezes acusou os dois rivais de "hipocrisia". "O senhor é o presidente do partido ou militante com altos cargos que mais vezes conseguiu resultados historicamente maus", retorquiu Pinto Luz.

Num momento mais acalorado, Rui Rio colou Montenegro e Pinto Luz à maçonaria, depois de ter sido confrontado com o que disse sobre não querer ver grupos associados tomarem conta do partido. "Os meus adversários são conhecidos como sendo da maçonaria", atirou. Irritado, Montenegro acusou-o de fazer "política de insinuação". "Não sou da maçonaria, não pertenço e não pertenci à maçonaria.". E acusou Rio e "fazer julgamentos com base em jornais".

Já Pinto Luz assumiu o passado. "Fui membro quanto tive 20 e poucos anos, já não sou há mais de dez. Desde que tenho cargos públicos que não pertenço à maçonaria."

SAIBA MAIS
1980
O atentado de Camarate foi um desastre aéreo ocorrido a 4 de dezembro de 1980 que vitimou Francisco Sá Carneiro, fundador do PSD e então primeiro-ministro, e Adelino Amaro da Costa, do CDS e seu ministro da Defesa no governo da AD.

Missa evocativa
Todos os anos os dois partidos assinalam a morte dos fundadores com uma missa na Basílica da Estrela, em Lisboa. Este ano, a missa coincidiu com o primeiro debate entre os três candidatos à liderança do partido. As diretas são a 11 de janeiro. Só Rui Rio e Luís Montenegro marcaram presença.
PSD PS Luís Montenegro Miguel Pinto Luz Rui Rio Rio Montenegro Lisboa política partidos e movimentos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)