Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

BE acusa Governo de falta de empenho para regresso às aulas seguro

Segundo a bloquista, o Governo deveria ter avançado com medidas como a redução do número de turmas, por exemplo.
Lusa 12 de Setembro de 2020 às 20:01
Joana Mortágua
Joana Mortágua FOTO: Inês Gomes
A deputada do Bloco de Esquerda (BE) Joana Mortágua acusou este sábado o Governo de não ter feito tudo o que podia para proporcionar um regresso às aulas em segurança e disse temer que as escolas se tornem em prisões.

"Quero saudar todas as escolas e todos os profissionais que fizeram tudo o que podiam para organizar o regresso às aulas em segurança. Infelizmente o Governo e o Ministério da Educação não fizeram tudo aquilo que estava ao seu alcance para lhes facilitar a vida", criticou.

Joana Mortágua, que falava este sábado à tarde em Almada, no distrito de Setúbal, durante uma sessão de 'rentrée' do BE, defendeu que, no âmbito da pandemia de covid-19, o Governo deveria ter avançado com medidas como a redução do número de turmas, a contratação de mais assistentes operacionais e o rejuvenescimento da classe docente.

Relativamente à redução do número de turmas, a deputada bloquista considerou que esta medida, "embora de difícil implementação", seria a "mais eficaz para garantir o distanciamento e prevenir episódios de indisciplina".

"Quando o Governo se atrasou a dar as orientações às escolas o Bloco de Esquerda fez esta proposta no parlamento e ela foi chumbada. O Governo falhou uma oportunidade", lamentou.

Joana Mortágua criticou igualmente a demora do Governo em rever a portaria de rácios que permite às escolas poderem contratar mais assistentes operacionais, considerando que esta situação "já devia ter ficado resolvida no verão.

"As escolas não têm o número suficiente sequer para o seu funcionamento dito normal. E, num momento em que se exige um esforço e um reforço da higiene e da limpeza era no verão que o problema tinha de ficar resolvido. E o Governo falhou as suas responsabilidades", afirmou.

O não rejuvenescimento dos professores foi outras das falhas apontadas para Joana Mortágua, que apontou para a existência de professores, "já com idade mais avançada" e "na linha da frente sem retaguarda", dadas as características da doença.

"Eu vi horários de alguns professores e não gostava de experimentar dar seis horas de aulas seguidas de máscara para 28 adolescentes, com cinco minutos de intervalo para mudar de sala. Não me imagino fazê-lo, passar a semana, o ano a fazê-lo, observou.

A deputada bloquista alertou ainda para o perigo de as escolas se poderem tornar prisões para as crianças, responsabilizando o Governo por não ter agido em tempo útil.

"A gestão do risco ficou para as escolas, que para tentarem controlar esse risco tomam medidas que vão tornar a experiência na escola muito dolorosa. Vamos fazer tudo para evitar que os jovens fiquem o dia inteiro numa sala de aula, sem poder tirar a máscara, nem sair nos intervalos ou ir a casa almoçar. Nós que nunca quisemos uma escola depósito também não queremos uma escola prisão", vincou.

No entanto, apesar destas adversidades, a deputada bloquista deixou uma mensagem otimista aos encarregados de educação e um apelo para um regresso às aulas.

"Na segunda-feira milhões de famílias vão confiar os seus filhos às escolas Nós sabemos que há riscos, haveria sempre riscos, mas pior seria a certeza de uma geração sem Educação. Por isso a mensagem que quero deixar para os pais, avós e alunos, que na segunda vão voltar à escola, é que estão a fazer a coisa certa", concluiu.

As aulas começam entre os dias 14 e 17 de setembro e será o regresso ao ensino presencial depois de, no passado ano letivo, as escolas terem sido encerradas em meados de março devido à evolução da pandemia de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 916.372 mortos e mais de 28,5 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.855 pessoas dos 62.813 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
BE Governo Joana Mortágua educação política coronavírus
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)