Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

BISPO CRITICA NOVO RUMO DAS FORÇAS ARMADAS

O bispo castrense, D. Januário Torgal Ferreira, disse ontem ao Correio da Manhã que o fim do Serviço Militar Obrigatório (SMO) vai trazer "grandes dificuldades" às Forças Armadas portuguesas.
26 de Março de 2004 às 00:00
Falando no final de uma Missa Crismal celebrada no Regimento de Cavalaria de Braga, o prelado mostrou-se bastante céptico em relação ao futuro.
"Eu acho que o fim do SMO vai trazer algumas dificuldades às Forças Armadas. Entendo que se trata de um grande desafio, mas não estou certo que as pessoas adiram na quantidade e qualidade esperada", disse D. Januário, lembrando que "também se corre o risco de os profissionais passarem a considerar-se uma força pretoriana".
Advertindo que podemos estar diante uma decisão política "pouco acertada", o bispo afirmou que , "ao contrário do que possa pensar-se, a profissionalização vai fazer com que as Forças Armadas fiquem mais caras ao Estado".
De resto, D. Januário disse estar convencido que "os militares, pela sua qualidade, vão dar a volta por cima".
Quanto à revisão da Concordata, disse que não sabe de nada, mas "desconfia" que os capelães vão continuar a ter patente militar.
Ver comentários