Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Bispo de Bragança-Miranda ordenado

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, comparou este domingo a missão do novo bispo de Bragança-Miranda, José Cordeiro, a uma vinha que necessita de trabalho e da conjugação de esforços para dar frutos fecundos, socorrendo-se de uma alegoria bíblica.
2 de Outubro de 2011 às 20:01
Cerímónia teve lugar na catedral de Bragança
Cerímónia teve lugar na catedral de Bragança FOTO: Eugénia Pires

O bispo é um dom de Deus, o proprietário da "vinha", continuou o cardeal-patriarca, frisando que "ele garante a plenitude do sacerdócio apostólico, expressão sacramental de Cristo, fonte da redenção" e que "sem esta fonte permanente, a jorrar rios de água viva... ela transformar-se-á naquela vinha que desilude o seu proprietário, incapaz de produzir os frutos que ele esperava".

Perante o mar de gente que encheu a catedral de Bragança, entre fiéis, amigos, 35 bispos e 150 padres, D. José Policarpo lembrou que desde os primeiros séculos, quando era ordenado um novo bispo, a presença do maior número possível de bispos na sua ordenação era garantia de que aquele (...) "não era nem herege, nem cismático; professava a mesma fé e guardava no seu coração o desejo ardente de comunhão com toda a Igreja". 

O cardeal-patriarca concluiu reafirmando ao novo bispo: "O Senhor diz-te hoje: vai, toma conta da minha vinha. Não estás sozinho, nunca o queiras fazer sozinho. Ama os teus presbíteros de modo a fazeres com eles a comunhão que vos levará, em uníssono, a ter a mesma solicitude". 

O jovem prelado, com 44 anos, deixou claro no seu discurso que conta com a colaboração de todo o clero da diocese para a nova missão, afirmando: "Eu não sou pensável sem vós, sois os primeiros e indispensáveis colaboradores."

Bispo de Bragança-Miranda José Cordeiro D. José Policarpo Igreja Católica
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)