Bota compara Sócrates a Salazar

Mendes Bota, vice-presidente do PSD e líder da distrital do Algarve, comparou o Governo de José Sócrates à “ditadura de Salazar” a propósito da actuação da ASAE.
28.01.08
  • partilhe
  • 0
  • +
Alberto João Jardim era o convidado especial do jantar de Ano Novo que, sábado à noite, reunião 700 militantes do PSD, mas foi o deputado quem escandalizou a assistência quando disse que “Salazar tinha a PIDE e hoje temos a ASAE, uma polícia de costumes e sabores que persegue os cidadãos”. Num discurso inflamado Bota disse ainda que “Salazar era ditador e não enganava, mas agora temos uma democracia formal, que é uma ditadura que oprime os cidadãos”.
Figuras de destaque do PSD na região algarvia, presentes no jantar, mostraram sinais de “desconforto”, considerando as afirmações de “falta de sentido de Estado”, mas recusaram comentar publicamente para não serem “acusados de desestabilizadores”. Bota disse que via “grande semelhança” entre os Governos de Salazar e de Sócrates, por Portugal ser, de novo, “um País de emigrantes” e de haver “meia dúzia que controla os lucros, enquanto o povo está na miséria”.
O líder do PSD também ontem comentou a actuação da ASAE para a comparar à do FBI. “O País sabe dos excessos da ASAE, parecendo o FBI a actuar em feiras, perante pessoas que não são gangsters de Chicago”, disse Luís Filipe Menezes, segundo o qual “só José Sócrates leva a sério a instituição. “Os portugueses brincam por causa do fundamentalismo quase caricato da ASAE e até o Presidente da República brinca”, sustentou.
"SÃO ATAQUES INQUALIFICÁVEIS"
O primeiro-ministro considerou ontem “inqualificável” os ataques “de forma radical” que a Oposição tem feito à ASAE. “É absolutamente lamentável os outros partidos enganarem-se no alvo e desatarem a atacar tudo o que mexe, atacarem de forma radical uma instituição do Estado como a ASAE, que está a ser atacada como um partido político”.
Durante uma conferência em Alcochete, Sócrates disse que “todos podem falhar”, mas que “a ASAE veio para ficar”. Sobre a comparação entre esse organismo e a PIDE, afirmou que “os ataques à ASAE são destemperados, próprios de partidos que não têm uma agenda focada e construtiva”.
O primeiro-ministro fez ainda questão de apontar que “o País e os consumidores estão mais defendidos” com a criação da ASAE”.
JARDIM LANÇA AVISOS AOS MILITANTES
Alberto João Jardim lançou fortes avisos àqueles que “em jantaradas e almoços andam com conspirações contra a nova liderança do PSD”. O presidente do Governo Regional da Madeira, que encerrou o jantar do PSD de Castro Marim com um discurso de 45 minutos, disse “irritar-se”, com os “meninos bem do Porto, que nunca me cheiraram bem e que só dizem baboseiras”.
Jardim pediu “tempo” para a nova direcção do partido “se afirmar”, prometendo que, no 1.º trimestre de 2009, se “fará uma análise para ver se há condições para derrotar o senhor Pinto de Sousa [Sócrates]”. Alberto João Jardim defendeu energicamente a regionalização, acusando os que são contra de “não quererem uma melhor divisão dos recursos” e diz estar “farto” de ver o PSD hesitante nesta matéria.
DISCURSO DIRECTO
"Há uma grande semelhança entre Salazar e o Governo de Sócrates." Mendes Bota, vice-presidente do PSD
"Salazar tinha a PIDE e hoje temos a ASAE, polícia de costumes e sabores que persegue os cidadãos." Idem
"Salazar não enganava, pois o seu Governo era uma ditadura. Este Governo parece uma democracia formal , mas é uma ditadura que oprime o cidadão." Idem
"Hoje, tal como antes do 25 de Abril, há meia dúzia que controla e têm lucros fabulosos enquanto o povo está na miséria." Idem
"A máquina fiscal deste Governo é uma autêntica ditadura." Idem
"O País sabe dos excessos da ASAE, parecendo o FBI a actuar em feiras, perante pessoas que não são gangsters de Chicago." Luís Filipe Menezes, líder do PSD
"Os portugueses brincam por causa do fundamentalismo quase caricato da ASAE e até o Presidente da República brinca." Idem
"É absolutamente lamentável os outros partidos enganarem-se no alvo e desatarem a atacar tudo o que mexe, atacarem de forma radical uma instituição do Estado como a ASAE, que está a ser atacada como um partido político." José Sócrates, Primeiro-Ministro

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!