Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Câmaras pagam mais tarde

As câmaras municipais estão cada vez mais a atrasar os pagamentos de obras, atingindo agora a média os 6,6 meses, revela o inquérito da Primavera da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas. Mas há várias autarquias as que “persistem em prazos médios superiores a um ano”, conclui o estudo.
11 de Julho de 2006 às 00:00
O último inquérito aos Prazos de Recebimento nas Obras Públicas revela “um agravamento generalizado nos prazos de pagamento, o que é extremamente penalizador para as empresas de obras públicas num período de escassa actividade e de agravamento das taxas de juro”, lê-se no documento.
A regularização das dívidas devidas por obras públicas agravou-se assim em meio mês, atingindo agora um atraso médio de 6,6 meses, quando o prazo de pagamento fixado na lei é de dois meses. No entanto, em muitas autarquias, o prazo ultrapassa um ano.
AS MAIS CUMPRIDORAS
Amarante, Anadia, Matosinhos, Ponte de Lima, Viseu e Braga.
AS MAIS DEVEDORAS
Aveiro, Maia, Santa Maria da Feira, V. N. Poiares, Coimbra, Guarda, Ovar, Penafiel e Valongo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)